A Universal na tribo africana Maasai

O trabalho evangelístico da Igreja tem chegado aos locais mais remotos do Planeta


maasai5.690x460

Eles são altos, esguios e os seus corpos são cobertos por adornos, tais como colares e pulseiras. A cor vermelha, marca característica da tribo, banha as túnicas que os revestem. Em uma das mãos carregam lanças, enquanto seus olhos atentos fixam o leão que está agarrado à presa. Então, em um rápido movimento, eles avançam em direção ao “rei da selva” com coragem e confiança. Os passos são firmes. O animal, assustado com a figura que se aproxima, bate em retirada. Eles são os morans, da tribo Maasai.

Em meio à savana africana, onde o ambiente é predominantemente quente à luz do dia, vive essa tribo. A forma de vida da comunidade é um contraste com o mundo tecnológico em que vivemos. Eles são simples. A base de sobrevivência das famílias está no cultivo de rebanhos ou na caça. Os morans, como são conhecidos os guerreiros, vivem um período de suas vidas isolados na selva para aprenderem com os mais velhos os costumes da tribo e as habilidades de sobrevivência. Quando se tornam adultos, ensinam para os mais novos o que aprenderam. Esse conhecimento é passado de geração em geração.

A relação dos morans com os leões, presentes na selva africana, é de constante conflito. Os guerreiros precisam proteger suas famílias e seus rebanhos desses animais, que lutam para saciar a fome.

A Universal na tribo Maasai

maasai2.690x460

Quando a Universal promoveu os primeiros contatos com a tribo, no ano de 2014, por meio de seu trabalho evangelístico, os maasais corriam o risco de não sobreviverem, pois, os alimentos e a água disponíveis para eles eram escassos. Porém, no dia 9 de fevereiro de 2015, o bispo Marcelo Pires foi convidado pelos próprios maasais a participar de uma cerimônia em que ele passaria a ser aceito como um membro da tribo (foto oa lado). Foram necessárias 3 horas de viagem até a selva da cidade de Kajiado, que fica a 80 quilômetros ao sul de Nairobi, capital do Quênia. E, ao chegarem no local, os voluntários da Universal doaram alimentos e produtos de higiene pessoal para ajudar os maasais. Naquele dia, eles receberam não apenas um alimento para o corpo, mas conheceram plenamente o Senhor Jesus que é o “Pão da Vida”, o alimento para a alma.

Durante a cerimônia, com a tradução do chefe da tribo, o bispo agradeceu a todos pela oportunidade de pertencer à comunidade e acrescentou que eles não precisariam ficar inseguros com os problemas que enfrentavam, pois, assim como os morans, que são corajosos para enfrentar os leões, cada um precisava ter a mesma força para enfrentar os problemas de saúde, familiares e materiais que os afligiam diariamente. Ele também acrescentou que os maasais precisariam acreditar em Deus para que pudessem superar os desafios. Ao final, o bispo orou por todos e determinou que fossem abençoados.

Momento histórico: um templo entre os maasais

maasai3.690x460

Então, no dia 6 de abril de 2015, ocorreu a inauguração do primeiro templo da Universal entre os maasais. Os anciãos da tribo participaram do encontro e solicitaram a atenção de todos os maasais para a mensagem que seria transmitida pelo bispo Marcelo – os membros obedecem apenas ao chefe tribal.

Logo no início, foi realizada uma oração por aqueles que estavam enfermos ou sentiam dores. Ao serem curados, eles expressaram o contentamento por sentirem-se bem. Depois, o bispo explicou que a construção do templo representava um refúgio, um local para buscarem a presença de Deus quando estivessem sem forças, tristes ou enfrentando problemas.

O chefe maasai ficou feliz pela construção e comentou que é uma oportunidade para o seu povo conhecer um Deus verdadeiro.

maasai4.690x460

Sobre esse momento especial, o bispo Marcelo Pires destacou na época ao Universal.org: “O povo maasai é conhecido pela sua coragem. Eles enfrentam até leões. Porém, eles não usam essa coragem quando se deparam com os problemas do cotidiano. Devido às grandes restrições do lugar em que vivem, se dobram às condições precárias, à falta de recursos, às tradições – como a circuncisão feminina, praticada até hoje –, à poligamia, e a Universal chega com a mensagem da fé para mudar a condição deles e para salvá-los.”

A necessidade por alimentos entre os maasais é tanta que, pelo menos uma vez por mês, eles precisam realizar um furo no pescoço de uma vaca, sem tirar a vida dela, para se nutrirem do sangue. Não é um ritual, é uma necessidade por causa dos poucos recursos alimentares que eles possuem.

Veja o vídeo abaixo as imagens registradas durante a inauguração:

Membro da tribo Maasai visita o Templo de Salomão

Em julho de 2016, o Universal.org noticiou sobre a visita de um guerreiro maasai ao Templo de Salomão, localizado na capital paulista. Foi a primeira vez que ele saiu do território de sua tribo.

Confira, no vídeo abaixo, esse momento especial:

No mês seguinte à visita do guerreiro maasai ao Templo de Salomão, a Universal promoveu um atendimento médico aos membros da tribo.

Por meio do esforço e da dedicação de bispos, pastores e voluntários a Universal tem divulgado a Palavra de Deus nos lugares mais longínquos do Planeta. Até mesmo entre as tribos “intocadas” pelo mundo moderno, como o belo povo Maasai.

No dia 9 de julho desse ano, a Universal completa 40 anos de fundação. Para conhecer mais sobre essa belíssima história, clique aqui.

 

Universal.org / Imagens: Reprodução

Gostou? Compartilhe!