Doenças antigas podem retornar e contaminar a humanidade

Pesquisadores estão preocupados com os efeitos do aquecimento global


ThinkstockPhotos-606226556.690x460

A temperatura na Terra está aumentando consideravelmente, e isso preocupa pesquisadores pelo mundo todo. Não somente pelos efeitos climáticos, mas porque a variação de calor está provocando derretimento de camadas de gelo do permafrost, na Sibéria, região da Rússia ao norte do continente asiático.

O permafrost é uma região do subsolo fria, escura e sem oxigênio— ambiente propício para incubar bactérias e vírus.

Quando o gelo dessa região derrete, pode expor ao ar, às águas, ao solo e aos animais vírus e bactérias que ficaram congelados ali por centenas ou, até mesmo, milhares de anos.

O Universal.org noticiou, em agosto do ano passado, um surto de antraz que ocorreu na Sibéria, após a temperatura da região aumentar 5 graus Celsius (5º C) além do normal.

Cerca de 1,5 mil renas morreram e mais de dez pessoas ficaram infectadas com a bactéria causadora da doença, que foi “reanimada” com o calor.

Agora, a temperatura do Círculo Polar Ártico, ao norte do planeta, está aumentando três vezes mais do que nas outras regiões e a preocupação de pesquisadores, ao redor do mundo, é que doenças atualmente extintas retornem à vida e contaminem a humanidade.

O terror do Fim dos Tempos

O livro de Apocalipse, da Bíblia, retrata como será o período que antecede o fim da humanidade nesse planeta. Serão dias terríveis de misérias, sofrimentos, doenças e abominações. E tudo isso acontecerá porque o mal estabelecerá o seu reinado na Terra e os homens aceitarão o seu domínio.

É possível compreender um pouco da dimensão de como será esse período quando vemos o anúncio dos Cavaleiros do Apocalipse. Entre eles há o de cor amarela que trará fome, doenças e mortes:

“E, havendo aberto o quarto selo, ouvi a voz do quarto animal, que dizia: Vem, e vê. E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava assentado sobre ele tinha por nome Morte; e o inferno o seguia; e foi-lhes dado poder para matar a quarta parte da terra, com espada, e com fome, e com peste, e com as feras da terra.” Apocalipse 6.7,8

Sobre esse período, o bispo Edir Macedo escreve no livro “Estudo do Apocalipse”: “A abertura deste quarto selo explica por si mesma o que vai acontecer… A morte e o inferno receberam autoridade para matar por meio de quatro flagelos. Pela espada: significa guerra mundial. Pela fome: aqueles que sobreviveram à guerra passarão pelo desespero da falta de comida. A escassez de alimentos levará as pessoas ao sacrifício de seus filhos. Pela mortandade: com a falta de alimentos, as doenças e as enfermidades aumentarão, gerando a morte.”

Contudo, o Senhor Jesus se sacrificou na cruz para que todos aqueles que nEle cressem não sofressem nesse cenário futuro e fossem Salvos.

 

Universal.org / Imagem: Reprodução

Gostou? Compartilhe!