O segredo do casamento feliz

Saiba o que você precisa para manter o seu relacionamento a dois forte


ThinkstockPhotos-540090684.690x460

Em 10 anos, o número de divórcios no Brasil subiu 160%, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Isso equivale a, aproximadamente, 341 mil divórcios por ano, e esse número não contabiliza aquelas separações de casais que não estavam formalmente casados, mas moravam juntos.

Isso acontece, em grande parte, porque os casais chegam a um ponto do relacionamento em que não estão mais dispostos a lutar para seguirem juntos. Um alega que é muito difícil conviver com o outro e justifica a separação dessa maneira.

A verdade é que um casamento é difícil de ser mantido, sim, mas isso não significa que seja impossível.

De acordo com o livro “Casamento Blindado”, é necessário passar desse ponto em que parece impossível para chegar ao momento em que os dois decidem agir pelo bem do casamento:

“Casamentos felizes dão trabalho e não acontecem por acaso. Quando você vê um casal que está junto por muitos anos e vivendo bem, saiba que aquele casamento não é fruto de sorte. Não é porque ‘foram feitos um para o outro’ nem porque ‘combinam bem’. Se olharmos mais de perto, vamos verificar que aquele casal trabalha constantemente na manutenção do casamento.”

O trabalho necessário

Para que esse trabalho na manutenção do casamento dê certo é necessário deixar os sentimentalismos de lado e agir racionalmente. É isso o que indica o escritor Renato Cardoso, em seu blog: “O amor precisa ser inteligente. É preciso usar a cabeça e não somente o coração ao decidir as coisas do amor. Às vezes, nem permitir que o coração tenha qualquer ingerência na decisão, pois ele é a fonte de paixões inconsequentes.”

De acordo com Renato, quando as pessoas deixam que sentimentos como orgulho, vaidade e ciúmes dominem o seu comportamento, elas passam a agredir não apenas o companheiro, mas principalmente o relacionamento. E é nesse momento que se torna “difícil demais” continuar juntos e vem a decisão do divórcio.

Por isso é tão importante agir racionalmente. “Quando a inteligência está no comando, é muito mais provável que você tenha sucesso no início do relacionamento, na decisão de casar, e durante os anos de casamento”, destaca o escritor.

Mas, para isso…

… é preciso ser maduro espiritualmente. Uma pessoa só está pronta para dividir a vida com outra quando está satisfeita consigo mesma e em uma relação firme com Deus.

Quando alguém entra em um casamento sem estar nessas condições, passa a cobrar do outro aquilo que falta em si mesmo. Por exemplo: uma pessoa com baixa autoestima quer ouvir elogios a cada 5 minutos. Como nenhuma pessoa age dessa maneira espontaneamente, o inseguro passa a acreditar que o outro não o ama. Cobra cada vez mais e desgasta o relacionamento.

“Muitos têm entrado no casamento pensando em se servir da outra pessoa, não em servi-la. E por isso logo vêm as cobranças”, explica Renato. “Você isso, você aquilo. O foco é no receber, não no dar. Ser servido em vez de servir. Uma disputa de egoísmos.”

Disputa essa que impede o uso da razão dentro do casamento e, consequentemente, fortalece o desejo de separação.

Caso você nunca tenha se casado, reflita sobre a sua maturidade com muito cuidado antes de assumir esse compromisso. Estabeleça uma relação verdadeira entre você e Deus primeiramente.

Se você é divorciado, antes de procurar por outro cônjuge, entenda por que a relação anterior acabou, sem se enganar sobre os motivos. Faça uma autoavaliação.

 

Universal.org / Imagem: Reprodução

Gostou? Compartilhe!