O segredo para um relacionamento feliz

Saiba como construir uma relação duradoura e satisfatória


ThinkstockPhotos-79073347.690x460

Otília Lubiana ainda estava deitada quando José Gabrielli serviu o café da manhã. Atencioso, ele preparou tudo e levou até a cama. Essa é uma cena comum entre os casais que estão iniciando um relacionamento, mas não tão comum entre casais que estão juntos há tanto tempo quanto Otília e José, que se casaram há mais de 70 anos.

Os capixabas se conheceram ainda crianças e começaram a namorar em 1945, quando tinham 16 anos de idade. Dois anos após o início da relação, se casaram. Hoje, aos 88 anos, vivem em Cariacica, interior do Espírito Santo, perto dos 13 filhos, 27 netos e nove bisnetos.

“Sempre vivemos muito bem. As nossas discussões nunca saíram da sala para a cozinha. Às vezes a gente até ficava emburrado um com o outro, mas nunca dormimos brigados um com o outro”, declararam em entrevista à rádio CBN.

De acordo com o casal, a atenção que dedicam um ao outro é o segredo de viver há tanto tempo um casamento feliz.

O que é um casamento feliz?

“Casamento feliz é uma troca de amor.” Quem define é a escritora Cristiane Cardoso, autora do livro “Casamento Blindado”, que você pode adquirir clicando aqui. De acordo com ela, para um casal ser feliz, as duas pessoas precisam gostar de ver o outro contente. Dessa maneira, ambos se dedicarão a satisfazer o parceiro.

“Nós gostamos de fazer carinho um no outro, não só quando estamos em casa, mas em público também. Não nos constrangemos nem um pouquinho. Deu vontade de abraçar, deu vontade de dar um beijo, lá estamos nós fazendo isso, onde quer que seja”, relata Cristiane, falando sobre o seu próprio casamento. “Um dos momentos que mais gostamos é quando rimos, então fazemos graça um para o outro, contamos coisas engraçadas que aconteceram no dia, lembramos de cenas engraçadas que assistimos na tevê, enfim… nós aproveitamos a risada um do outro.”

Aproveitar a risada, a felicidade do parceiro, é ser atencioso da maneira como o cônjuge gosta. No caso de Otília e José, um desses gestos de atenção é levar o café na cama. Cada pessoa precisa de um tipo de atenção diferente e, para descobrir isso, é necessário conhecer o parceiro.

“Atenção para mim é olhar nos meus olhos, me perguntar como estou naquele dia, se interessar pelo que eu penso e adivinhar como eu quero ser abraçada e acariciada naquele momento”, explica Cristiane. “Atenção para o Renato é ter a mim por perto, mesmo que quietinha. Ele não quer conversar e sim saber que eu estou ao seu lado. É ajudá-lo de alguma forma em seu trabalho. É deixar as suas coisas arrumadas e compreendê-lo nas horas de estresse. É respeitá-lo nas horas que eu quero uma coisa e ele não.”

Quando os dois aprendem a dar a atenção que o cônjuge precisa, o casamento se torna prazeroso e, consequentemente, duradouro. Como já explicou o próprio escritor Renato Cardoso, casamento feliz é “uma competição sadia de quem faria mais bem ao outro”.

 

Universal.org / Imagem: Reprodução

Gostou? Compartilhe!