Há uma idade certa para se casar?

Entenda o que é realmente necessário para fazer um bom casamento


ThinkstockPhotos-523580347.690x460

Recentemente, a Organização Não Governamental (ONG) “Save the Children”, criada em Londres (Inglaterra),divulgou o relatório “Até a última menina. Livres para viver, livres para aprender, livres de perigo”, que aponta que a cada 7 segundos ao menos uma menina com idade abaixo dos 15 anos é forçada a se casar no mundo.

Na pesquisa, foram analisados 144 países. Com base no casamento infantil, eles foram classificados, em um ranking, do melhor para o pior. Entre os avaliados, destacaram-se como piores a Índia e a Somália, onde crianças de 10 anos, ou menos, são obrigadas a se relacionar com homens mais velhos.

De acordo com a ONG, além do casamento infantil privar as jovens da educação, distanciando-as de evoluir intelectualmente, ainda há o risco de morte ou danos durante o parto, afinal, o corpo ainda não está preparado para as mudanças. Para o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o número estimado de mulheres que se casam antes dos 18 anos deverá passar dos atuais 700 milhões para 950 milhões em 2030.

O momento ideal

Mas há uma idade ideal para se casar?

De acordo com o apresentador do Programa “The Love School – A Escola do Amor”, Renato Cardoso, não há uma idade mágica para se casar. O que há são condições que devem ser cumpridas para minimizar os problemas no casamento.

Primeiramente, o casal precisa avaliar o quão bem se conhecem. “O tempo de namoro é importante, porque é ali que você está analisando a outra pessoa, se conhecendo em várias situações para saber o que esperar em um eventual casamento. Como por exemplo a família um do outro; como cada um costuma lidar com o dinheiro; o tipo de amigo que você tem ou o ritmo de vida”, explica o apresentador.

Além desses, há muitos outros quesitos a se considerar. No livro “Namoro Blindado – O Seu Relacionamento à Prova de Coração Partido”, Renato, juntamente com a esposa, Cristiane Cardoso, ensina aos leitores – solteiros, aqueles já estão namorando ou divorciados – a não errarem na vida amorosa. Afinal, até a melhor qualidade de uma pessoa pode se tornar o seu maior defeito no relacionamento.

Os escritores alertam: “Pergunte a qualquer casal maduro, que hoje vive feliz e bem ajustado, se não tiveram os seus anos de deserto. Fico pensando nos casais que desistiram nos primeiros 5, 7 ou 10 anos de casamento, ou que ainda estão casados, mas pensando no divórcio. Abandonaram o barco na primeira tempestade porque só esperavam brisa e dias de sol. Casamento feliz existe, sim, para quem quer construí-lo.”

 

Universal.org / Imagem: Reprodução

Gostou? Compartilhe!